«Denunciar ou não denunciar: vantagens e perigos em reportar irregularidades no desporto» é o tema do evento que decorre a 28 de março no ISCTE-IUL, organizado em parceria com o Comité Olímpico de Portugal.

Contará com oradores convidados de relevo a nível internacional, como é o caso da Unidade de prevenção de manipulação de competições do Comité Olímpico Internacional e da Unidade de integridade da Federação Internacional de Ténis, assim como a nível nacional, com a presença da Federação Portuguesa de Futebol, a Polícia Judiciária, entre outros.

Consulte o programa português / inglês.

A iniciativa é promovida por um projeto coordenado pelo CEI-IUL, e irá decorrer no auditório Mário Murteira (Ed. Sedas Nunes) a partir das 9h00. A entrada é gratuita sujeita a inscrição no formulário abaixo:

 

 

Sobre o projecto:

O estudo da manipulação de resultados desportivos tem vindo a ganhar uma importância crescente no seio das principais instituições desportivas, políticas, de segurança e Organizações Não Governamentais. Face aos elevados montantes que o desporto movimenta, o setor tem-se tornado vulnerável à corrupção. Esta realidade é particularmente visível no mercado das apostas desportivas, ou na aquisição de participações nas Sociedades Anónimas Desportivas, atraindo para o negócio grupos criminosos organizados, como máfia, sindicatos do crime ou tríades asiáticas.

A magnitude do problema levou a que, em 2011, a Comissão Europeia reconhecesse o problema na sua comunicação “Developing the European Dimension in Sport”. No ano seguinte, a Comissão Europeia começou a financiar projetos dedicados ao estudo desta problemática. É neste contexto que surge o projeto “Training on Protected Reporting for Professional and Grassroots Sport (T-PREG)”. O T-PREG é um projeto europeu de luta contra a corrupção no desporto, financiado pelo programa Erasmus+ Desporto, da Comissão Europeia, em parceria com Comités Olímpicos, Universidades, ONG e representantes de Governos.

A ausência de estudos científicos, que apresentem evidências empíricas sobre perceções e práticas de denúncia de manipulação de resultados, não permite perceber se estão criadas as condições adequadas para que o agente desportivo denuncie em segurança. Tão pouco são explicitados os dilemas que os atores desportivos enfrentam quando pensam nessa possibilidade.

Foi com base nestas premissas que surgiu o projeto T-PREG, com o objetivo de recolher evidências sobre atitudes e percepções dos atores desportivos sobre o fenómeno, avaliar os sistemas de denúncias existentes na Europa, bem como a proteção com que contam os atores na hora de denunciarem irregularidades, definir boas práticas e realizar ações de formação para melhorar a proteção dos denunciantes e o combate ao problema.