Apresentação de livro e mesa-redonda “Crise e castigo? Eleições Brasil 2018”

O investigador do CEI-IUL, Pedro Seabra, é coordenador de um novo livro, conjuntamente com Carmen Fonseca “O Brasil e os Desafios do Sistema Internacional”.  Também Bruno Cardoso Reis do CEI-IUL contribui para este livro com o capítulo “Brasil e Portugal: Divididos pelo Atlântico, Unidos pela Retórica?”.

O livro será apresentado nesta sessão do Leituras do Mundo, e será seguido de uma mesa-redonda sobre o ciclo eleitoral do Brasil.

 

Programa

Leituras do Mundo

  • Livro: “O Brasil e os Desafios do Sistema Internacional”, editado por Pedro Seabra e Carmen Fonseca. Lisboa: Instituto de Defesa Nacional, 2018.
  • Apresentação: Carmen Fonseca (IPRI-NOVA)
  • Moderação: Bruno Cardoso Reis (CEI-IUL)

Resumo:

O livro proporciona um balanço sobre os desafios do Brasil no sistema internacional, refletindo algumas das prioridades da sua política externa recente, centrando-se no período de 2003 em diante. Em alguns casos é feito um enquadramento histórico mais detalhado e noutros é dado maior enfoque a cenários prospetivos. De uma forma geral faz-se um balanço sobre aquilo que foi alcançado pelo Brasil nos últimos 15 anos, assim como os constrangimentos e oportunidades para a sua atuação futura no sistema internacional.

 

Mesa-redonda: Crise e castigo? Eleições Brasil 2018

Após anos de crescimento económico, estabilidade política e protagonismo internacional, o Brasil atravessa agora momentos de crise nos três domínios, tendo o ciclo eleitoral de 2018 apenas acentuado a presente situação. Após uma campanha longa e corrosiva, o país apresenta-se mais dividido do que nunca. Esta mesa-redonda visa por isso avaliar os mais recentes desenvolvimentos eleitorais até à data e antecipar não só possíveis cenários pós-segundo turno de votação como também potenciais implicações para o Brasil, quer no plano interno como externo.

Estarão presentes nesta mesa os investigadores Bruno Cardoso Reis, do CEI-IUL, Carmen Fonseca, do IPRI-NOVA, Joaquim Cadete, da UCP, e Felipe Albuquerque do ICS-ULisboa.


Sobre os investigadores do CEI-IUL

Pedro Seabra é doutorado em Ciência Política, com especialização em Relações Internacionais, pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS, ULisboa) e Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL). É atualmente Investigador de Pós-Doutoramento no Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (CEI-IUL). Entre 2016 e 2017 foi Leibniz-DAAD Research Fellow do German Institute for Global and Area Studies (GIGA), onde permanece como Associado. Anteriormente foi Investigador Visitante do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (IREL-UnB), do Centre for Governance Innovation da Universidade de Pretória (GovInn-UP) e do ICS, ULisboa. Trabalhou igualmente como Investigador do Instituto Português de Relações Internacionais e Segurança (IPRIS). Os seus interesses de investigação concentram-se na área de Relações Internacionais, Segurança Internacional, dinâmicas regionais do Atlântico Sul e security capacity-building em África. 

 

Bruno Cardoso Reis é doutorado em War Studies pela Universidade de Cambridge.  Entre 2011-2017  foi investigador no ICS-ULisboa. É colaborador do IDN  e investigador associado no Michael Howard Center for Military History do King’s College (Univ Cambridge). Desde 2017 é Professor Assistente no ISCTE-IUL e tem ainda publicado sobre temas diversos de conflitos e segurança, nomeadamente o livro com Andrew Mumford “The Theory and Practice of Irregular Warfare” (London: Routledge, 2013).

 

Sobre o livro

O IDN editou o n.º 39 da Coleção Atena, intitulado “O Brasil e os Desafios do Sistema Internacional”, coordenado por Pedro Seabra e Carmen Fonseca.

O livro está estruturado em torno de cinco capítulos, aos quais se juntam a introdução e a conclusão. Os capítulos correspondem aos estudos de caso sobre os desafios do Brasil no sistema internacional, refletindo algumas das prioridades da sua política externa, centrando-se essencialmente no período que corresponde à vigência dos governos do PT, embora não sejam limitados pelo mesmo. Em alguns casos é feito um enquadramento histórico mais detalhado e noutros é dado maior enfoque aos cenários prospetivos. De uma forma geral faz-se um balanço sobre aquilo que foi alcançado pelo Brasil nos últimos 15 anos, assim como os constrangimentos e oportunidades para a atuação futura do Brasil no sistema internacional.

 

Foto: Caco Argemi CPERS / Sindicato / CC BY-SA 2.0