A segunda sessão do mês de novembro do Leituras do Mundo conta com a apresentação do livro “A guerra na antiga Jugoslávia vivida na primeira pessoa: testemunhos de militares portugueses ao serviço das Nações Unidas”. A sessão decorre no dia 29, pelas 18h, na sala B6.02 (Biblioteca ISCTE-IUL)

 

Autores do livro:  Carlos Branco, Henrique Santos e Luís Eduardo Saraiva

Sinopse do livro:

A Força de Proteção das Nações Unidas (FORPRONU) foi a primeira missão das Nações Unidas na antiga Jugoslávia durante o desmembramento do país. A força foi estabelecida em fevereiro de 1992 e o seu mandato terminou em dezembro de 1995. Foi composta por cerca de 40.000 militares (incluindo 680 Observadores Militares) e civis oriundos de 37 países, o que a tornou à data a maior operação de manutenção de paz da história das Nações Unidas. Ironicamente, a “experiência jugoslava” foi uma janela para o mundo; um “Erasmus da vida” que tornou os que nela participaram pessoas cosmopolitas. Foi um abrir de olhos. Relacionaram-se tolerantemente com indivíduos de origens e culturas que não conheciam. Foi o confronto com um mundo novo, “para além da Taprobana”. Mais que uma escola da vida, a “experiência jugoslava” foi uma escola de camaradagem. Fez com que vivências moldadas pela adversidade se tornassem laços intensos de amizade, que perduraram até aos dias de hoje. Este livro serve para preservar a memória, um elixir contra o esquecimento, para que as gerações vindouras saibam um pouco melhor o que ali se passou; para vincar a satisfação da missão cumprida; para honrar o companheirismo, a amizade e o espírito de sacrifício. E não é pouco.

 

Sobre o autor Carlos Branco:

Carlos Branco é Major-General do Exército na situação de reserva. Entre outras funções, foi observador militar da ONU no conflito da ex-Jugoslávia, entre agosto de 1994 e fevereiro de 1996. Ainda nesse ano, ao serviço da OSCE, desempenhou as funções de monitor eleitoral nas primeiras eleições realizadas na Bósnia após os acordos de Dayton. Ao serviço da ONU exerceu ainda funções na Divisão Militar do Secretariado da ONU, em Nova Iorque, para as quais foi selecionado, onde nas funções de Peacekeeping Affairs Officer foi desk officer das missões da ONU no Médio Oriente (Israel, Líbano, Síria e Iraque/Kuwait).

Foi igualmente selecionado para as funções de porta-voz do Comandante da Força da OTAN no Afeganistão; assim como para Diretor da Divisão de Cooperação e Segurança Regional do Estado-Maior Militar Internacional da OTAN, em Bruxelas, onde foi responsável pelo planeamento estratégico da cooperação militar da OTAN com os seus parceiros. Foi também Subdiretor do Instituto de Defesa Nacional e do Instituto de Estudos Superiores Militares. Presentemente é investigador integrado na Universidade Autónoma de Lisboa onde lidera um projeto no âmbito das técnicas e métodos da Resolução de Conflitos.