O mês de setembro é também mês em que retomamos as sessões do ciclo de tertúlias Leituras do Mundo, uma iniciativa do CEI-IUL com a Biblioteca do ISCTE-IUL, para promover novos livros sobre Estudos Internacionais.

Este mês contamos com a apresentação de dois livros:

  • A Malária em Moçambique: políticas, provedores de cuidados, saberes e práticas de gestão da doença

Autora: Ana Rita Sequeira (Univ. Murdoch e CEI-IUL)

Moderador: Paulo Granjo (ICS-ULisboa)

[Este livro está disponível na colecção de E-book’IS do CEI-IUL, que resulta da tese de doutoramento da autora.]

Sobre:

As sociedades do distrito de Chókwè, no sul de Moçambique, caracterizam-se por uma diversidade de etnomedicinas, nomeadamente a biomedicina, a medicina tradicional e a cura espiritual. No âmbito das atividades de controlo da malária, analisaram-se os conhecimentos e práticas relacionados com a sua etiologia, o diagnóstico, a prevenção e o tratamento, de acordo com os diferentes provedores de cuidados de saúde consultados. A análise deste fenómeno foi realizada à luz de uma perspectiva interpretativa e crítica, integrando fatores de ordem económica, social, política, organizacional e cultural, que são frequentemente marginalizados na compreensão desta doença. Com base numa abordagem multidisciplinar e qualitativa, concluiu-se que a construção social da enfermidade emerge não só da experiência psicossocial dos doentes e grupos sociais mas também de todas as dinâmicas que integram a vida em sociedade, em especial da teia de relações socioculturais, ideológicas, políticas e vivências, simbolismos, fluxos de informação e os múltiplos atores, que compõem a complexa arquitetura do Sistema Nacional de Saúde, em Moçambique. Recusando a “monocultura epistémica”, as histórias de vida relativas aos provedores de saúde tradicionais (curandeiros e pastores) e os discursos sobre a sua identidade evidenciam os conflitos e as tensões existentes bem como as tentativas de harmonização, cooperação e complementaridade terapêutica. Do mesmo modo que o mosquito Anopheles resiste e se adapta às alterações do meio, também os conhecimentos, as práticas terapêuticas e as relações sociais respeitantes à saúde e à doença estão em constante mutação. Em ambos os casos, desconhecem-se as subsequentes modalidades e configurações.

 

  • Mulheres no Mercado da Saúde: apoio social em Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Niger

Coordenadora: Clara Carvalho (CEI-IUL)

Moderador: Jorge Varanda (Univ. Coimbra e CRIA)

Sobre:

Este livro aborda o acesso das mulheres aos cuidados de saúde não-estatais em Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Niger, considerando-as o grupo populacional mais sensível às decisões macro-económicas internacionais que conduziram à limitação do apoio social financiado pelo Estado e ao desenvolvimento do sector privado. O estudo inclui uma análise dos projetos focados em questões de género da cooperação portuguesa e um olhar sobre os hospitais públicos na África do Sul. Os prestadores de cuidados de saúde não-estatais referenciados são diversos e abrangem os terapeutas tradicionais, as organizações do terceiro sector, os cuidados clínicos privados, as organizações comunitárias e de base e o sector da responsabiidade social corporativa. O conhecimento aprofundado da complexidade deste mercado de saúde é essencial para a implementação de estratégias que coordenem as políticas de saúde pública e a oferta do sector não-estatal nas suas múltiplas vertentes. Esta obra reúne os trabalhos de Albert Farré, Aline Afonso, Beatriz Moreiras, Carlos Bavo, Gefra Fulane, Libertad Jimenez, Maria de Fátima, Paula Morgado, Sara Ferreira e Ted Powers. Os trabalhos apresentados resultam de um projeto financiado pela Fundação para a Ciência e Tencologia (Gender and therapeutic pluralism: women access to private health sector in Africa, ref. ptdc/Afr/108615/2008) que decorreu no Centro de Estudos Africanos do ISCTE-IUL.