De acordo com as determinações do plano de contingência adoptado pelo Iscte (https://www.iscte-iul.pt/conteudos/1729/plano-de-contigencia-covid19), o CEI cancela os eventos programados para as próximas semanas.

 

No dia 18 de março, decorre mais uma sessão do ciclo Leituras do Mundo, com a apresentação do livro “Brazil-Africa Relations: Historical Dimensions and Contemporary Engagements, From the 1960s to the Present” editado por Gerhard Seibert e Paulo Fagundes Vizentini.

A sessão decorre na sala B6.02 da Biblioteca Iscte, no dia 18 de março às 18h00.

Resumo do livro:

Quando Lula da Silva se tornou presidente do Brasil em 2003, declarou África como uma prioridade da ambiciosa política externa global do seu país. Durante a sua presidência, o Brasil tornou-se uma das principais potências emergentes em África, através do fortalecimento de laços políticos, da cooperação para o desenvolvimento e do comércio com o continente. Embora as presidências de Dilma Rousseff e Michel Temer tivessem outras prioridades políticas, continuaram a existir fortes laços com o continente. Rastreando as relações Brasil-África desde o início do século XVI e do tráfico de escravos, através do seu declínio durante o colonialismo europeu, o ressurgimento após a independência de muitos países africanos, os altos e baixos do regime militar do Brasil nas décadas de 1960 e 1970, à expansão dos seus interesses sob Lula e durante os anos Dilma e Temer, os autores demonstram a sua longa história. Adotando uma ampla gama de perspetivas, eles examinam: a maneira pela qual os direitos dos afrodescendentes no Brasil se tornaram cada vez mais reconhecidos sem trazer igualdade racial; o fortalecimento dos vínculos multilaterais com o continente e o crescimento da cooperação sul-sul; e as relações Brasil-África no contexto do Atlântico Sul. O capítulo final analisa as implicações mais amplas das atuais crises políticas e econômicas para a futura política externa do Brasil na África e o provável impacto do novo presidente Jair Bolsonaro eleito no final de 2018.

 

Biografia do editores do livro:

Gerhard Seibert é licenciado em Antropologia pela Universidade de Utreque, Holanda (1991), e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade de Leiden, Holanda (1999). Foi investigador do antigo Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT),

em Lisboa, de 1999 a 2008, e do ex-Centro de Estudos Africanos / ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (CEA /ISCTE-IUL), de 2008 a 2014. Desde 2014 é professor adjunto da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), São Francisco do Conde, Bahia, Brasil. Realizou pesquisas em Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e sobre as relações Brasil – África relations. É autor de Comrades, Clients and Cousins. Colonialism, Socialism and Democratization in São Tomé and Príncipe (Leiden: Brill 2006) e co-organizador de Brazil-Africa Relations: Historical Dimensions and Contemporary Engagements, From the 1960s to the Present.

Paulo Fagundes Visentini é historiador e professor titular de relações internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Obteve o seu doutoramento em História pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutoramento em Relações Internacionais pela London School of Economics. Ocupou a cátedra Rui Barbosa de Estudos Brasileiros na Universidade de Leiden, e a cátedra Rio Branco de Relações Internacionais na Universidade de Oxford. É autor de vários livros sobre História Mundial Contemporânea e Relações Internacionais, pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), fundador do Centro Brasileiro de Estudos Africanos (CEBÁFRICA) e editor da revista Austral: Revista Brasileira de Estratégia e Relações Internacionais.