No próximo dia 16 de novembro, irá realizar-se no Auditório Paquete Oliveira, no Edifício Sedas Nunes do Iscte, o Encontro “Estéticas afro-diaspóricas em Portugal: o caso da Quinta do Mocho”, a partir das 20h30. Neste Encontro sobre experiências migratórias, organizado pelo CIES-Iscte, o CRIA, o CEI-Iscte e o Observatório da Emigração irá ser exibido o documentário “Na quinta com Kally” do realizador Otávio Raposo.
Entrada livre, com registo obrigatório para observatorioemigracao@iscte-iul.pt

Sinopse:

Todas as semanas, Kally e Ema percorrem as ruas da Quinta do Mocho para mostrar aos visitantes as obras da maior galeria de arte ao ar livre da Europa. O bairro, considerado “problemático” e “violento”, soube dar a volta aos estereótipos e tornou-se um exemplo da riqueza cultural das periferias de Lisboa. Aproveitando-se da boleia da arte urbana, os seus moradores são os principais responsáveis por esse processo de requalificação discursiva. São eles que impulsionam as visitas guiadas, compõem canções de intervenção e criam coletivos culturais que valorizam o bairro. As expressões artísticas nascidas no Mocho são “gritos de resistência” ao racismo, à precariedade laboral e às imagens mediáticas que o representam negativamente. O filme mostra como a vida de Kally, Ema e o filho está interligada com a reinvenção da Quinta do Mocho. Acompanhamos o quotidiano dessa família que, ao insistir em lutar por uma vida melhor, também afirma o bairro como um ativo celeiro de produção cultural.

 

Realização: Otávio Raposo
Montagem: Filipe Ferraz e Otávio Raposo
Pesquisa, filmagem e som: Otávio Raposo
Duração: 27 min.
Ano: 2019