No próximo dia 19 de junho, decorre no ISCTE-IUL mais uma iniciativa organizada pelo CEI-IUL e Plataforma de Reflexão Angola em parceria com o Mestrado em Estudos Africanos do ISCTE-IUL.

Esta mesa-redonda pretende debater as primeiras eleições autárquicas que irão decorrer em Angola em 2020 e reúne Adolfo Maria (Escritor), Luís Carvalho Rodrigues (Universidade Nova de Lisboa), Nelson Pestana (Universidade Católica de Angola) e Sérgio Dundão (CIS – Instituto Superior de Ciências Sociais e Relações Internacionais) como oradores convidados. A moderação fica a cargo de Cláudia Generoso de Almeida (CEI-IUL) e Manuel Dias dos Santos (Plataforma de Reflexão Angola).

Sobre:

As primeiras eleições autárquicas em Angola estão previstas para o ano de 2020. Porém, a Constituição de 2010 prevê, nas suas normas transitórias, a introdução gradualista das autarquias (Art. 242º), ou seja, de forma faseada. Em Maio de 2018, o novo governo angolano aprovou um pacote de leis sobre as eleições autárquicas submetido a um período de auscultação pública. Desde então, a implementação das autarquias locais tem sido objeto de um intenso debate entre políticos, académicos e sociedade civil que importa seguir e refletir sobre. Nesta mesa redonda iremos então debater, com a ajuda de quatro oradores convidados, o porquê desta opção gradualista e o seu significado político e jurídico-constitucional, bem como a importância da descentralização político-administrativa como instrumento de governação.

 

Oradores:

Adolfo Maria (Escritor)

Luís Carvalho Rodrigues (Universidade Nova de Lisboa)

Nelson Pestana (Universidade Católica de Angola)

Sérgio Dundão (CIS – Instituto Superior de Ciências Sociais e Relações Internacionais)

 

Moderadores:

Cláudia Generoso de Almeida (CEI-IUL)

Manuel Dias dos Santos (Plataforma de Reflexão Angola)

 

 Organização: CEI-IUL, Plataforma de Reflexão Angola, Mestrado em Estudos Internacionais