Entrada da Guiné Equatorial na CPLP, entre o apoio e a reprovação

 

A entrada de Malabo como membro permanente na organização (que goza do estatuto de observador associado desde 2006) tem dividido a comunidade lusófona e gerado bastante polémica e desconforto, devido essencialmente a razões de carácter social, político e cultural. A antiga colónia espanhola, que formalizou a proposta de adesão há quatro anos para fazer frente ao isolamento internacional, viu o seu objectivo recusado nas cimeiras de Luanda (2010) e Maputo (2012), por não cumprir os requisitos necessários e devido sobretudo à oposição de Portugal.

Continuar a ler: Password Confidential Newsletter (PDF)

 

Temas: