A notícia de que os chefes da diplomacia lusófonos querem ver a Guiné Equatorial na CPLP causou indignação. O país ainda tem muito que fazer se quiser entrar na organização, afirmam os críticos.

+info

 

Temas: