Keywords

TIC, Senegal, sociabilidade, comunicação, valores sociais, Wolof

Abstract

A generalização das Tecnologias de Informação e Comunicação no mundo ganha expressão também em África, em países como o Senegal. A apropriação das TIC tem promovido novas dinâmicas nas sociedades, ao nível das comunicações, economias, circulação de ideias, e sido considerada importante em novas formas de participação política ou novos modelos de negócio. Porém as TIC, através da sua capacidade de representação do mundo e comunicação, participam também ativamente em transformações importantes nas sociabilidades. No Senegal, observam-se tensões nas relações de género e intergeracionais, tornadas evidentes por um novo regime de exposição pública das relações sociais, e exacerbados por estas tecnologias. Uma ideologia patriarcal considera problemática a abertura ao mundo e a novos referentes culturais. O medo de alienação cultural sustenta a perceção de uma crise de valores. Esta tese procura questionar a dialética, entre esse medo e o potencial libertador das TIC considerando as instâncias onde se verificam as tensões sociais, nomeadamente em relação às sociabilidades no feminino, ligadas ao corpo e à sexualidade, ao espaço público e privado, às práticas geracionais e aos jovens, suas aspirações e lugar na sociedade. A “crise de valores” é aqui pensada enquanto construção ideológica baseada num pânico moral difuso e desproporcional, sintomático de uma crise das masculinidades. A reflexão sobre as codificações das relações de género, familiares, conjugais, geracionais e de vizinhança, configura a passagem de objeto de estudo centrado nas TIC, para um centrado na influência das TIC nas relações sociais.