Índice

Capítulo 1
Os primórdios do desporto no arquipélago de finais de oitocentos a inícios de novecentos

Capítulo 2
A (perene) ordem colonial e imperial dos anos 30

Capítulo 3
O desporto e as fissuras no racismo em meados do século XX

Capítulo 4
O amparo ao desporto corporativo na década de 1960

Capítulo 5
Desporto em tempo de mudanças políticas e sociais

Capítulo 6
Desporto em vez de política no ocaso do colonialismo

Capítulo 7
O Sporting Clube de S. Tomé entre a pertença colonial e os momentos de confronto

 

Apoiando-se em testemunhos e numa documentação arquivística riquíssima, esta obra examina a relação entre desporto e política no São Tomé e Príncipe colonial, no período entre finais de oitocentos e 1974. Longe de constituir uma crônica exaustiva das práticas desportivas, este volume analisa o curso do desporto num contexto político colonial particular – o da tentativa das autoridades da negação da política, quando tal prática divisória ou tal tracejar das fronteiras internas era, exatamente, a base do ordenamento econômico e social.
Um dos principais objetivos deste volume é o de dar conta dos trilhos da disseminação do desporto no universo micro-insular colonial, do modo como foi proposto e apropriado, dos respectivos significados em termos de construção identitária de grupos,territórios e lugares. Assim, o livro apresenta uma análise sobre o significado político e social do desporto no arquipélago equatorial, mostrando como este se apresentava de modo diferente ao daquele das outras colónias, apresentando uma menor utilidade pública, tanto do ponto de vista do colonizador como do colonizado.

 

Disponível em: http://www.7letras.com.br/colecao-visao-de-campo/desporto-em-vez-de-politica-no-s-o-tome-e-principe.html