Palavras-chave

violência política, impactos psíquicos, ansiedade, depressão

Resumo

Este estudo conjuga os conhecimentos de duas especialidades das Ciências Humanas, a Antropologia e a Psicologia, tendo por objectivo geral estabelecer conexões entre os impactos psíquicos da violência política vivida no período de guerra e algumas variáveis que influenciam o estado de saúde mental das populações no continuum urbano e rural do Lubango, nomeadamente a ansiedade e a depressão. O estudo baseia-se principalmente num inquérito por amostragem de 300 indivíduos de idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, da cidade do Lubango e dos municípios da Matala e Humpata (zonas rurais). Para a recolha de dados utilizou-se o questionário de Beck que é um Instrumento de Depressão para adultos e o Inventário de Ansiedade Idate-Estado desenvolvido por Spielberger e outros (1970). Os resultados indicam que não há diferenças entre as duas zonas com respeito à ocorrência e à intensidade de depressão. No tocante à ansiedade, não há diferença em relação à intensidade dos sintomas mas sim em relação à ocorrência, sendo que no meio rural há uma ocorrência de ansiedade significativamente maior do que no meio urbano.