No dia 7 de junho, a sessão do Pensar África será sob o formato de mesa-redonda, com Carolina Cravo e Ana Paula Pinto, que trazem duas comunicações distintas. A primeira mais focada na questão antropológica dos fenómenos de alegado transe e possessão, observados em jovens estudantes; e a segunda mais focada num projecto implementado em centros de aprendizagem que visa melhorar a qualidade da educação escolar primária no Malawi.

 

Carolina Cravo

InPulsar – Associação para o Desenvolvimento Comunitário)

Tradução de fenómenos: entre a saúde mental e a antropologia. Estudo de caso nas escolas de Guadalupe e Patrice Lumumba em São Tomé e Príncipe;

Resumo: O estudo incide sobre as diferentes leituras dos fenómenos, de alegado transe e possessão, observados em jovens estudantes das escolas de Guadalupe e Patrice Lumumba em São Tomé e Príncipe em 2010. O foco da análise situa-se entre o jogo de interpretações e as intervenções levadas a cabo, com vista à gestão da situação e a garantir a retoma do funcionamento normal das escolas. A recolha de dados efetuou-se em São Tomé e Príncipe e Portugal. Assistiu-se a uma diversidade de interpretações, que oscilaram sobretudo entre a biomedicina, saúde mental e aspetos específicos culturais locais. A intervenção por parte dos técnicos de saúde foi a oficialmente implementada, tendo presidido todo o processo. A ausência de programa de saúde mental em STP e a fragilidade das respostas disponíveis neste campo concorreram para algum questionamento desta hegemonia. A reflexão sobre estas situações poderá constituir-se como uma ótima oportunidade para compreender a necessidade do desenvolvimento de competências culturais em saúde e adoção de interpretações particulares, localmente situadas.

Ana Paula Pinto

Centro de Estudos Internacionais, ISCTE-IUL

Os Centros de Aprendizagem do projecto “Unlocking Talent” nas escolas do ensino primário do Malawi.

As escolas primárias do Malawi enfrentam vários e enormes desafios sendo o mais grave a escassez de salas de aula, resultando em enorme superlotação. Centenas de crianças não recebem uma educação digna e de qualidade. Muitas delas passam pelo ensino primário sentadas no chão e debaixo de uma árvore. Isto reflecte-se em elevadas taxas de abandono e baixas taxas de conclusão do ensino primário, particularmente entre as raparigas. O projecto “Unlocking Talent”, através dos centros de aprendizagem (Learning Centre), visa melhorar a qualidade da educação escolar primária no Malawi. Tendo como objectivo principal melhorar a numeracia e a literacia entre as primeiras e segundas classes do ensino primário. Contudo grupos marginalizados dos distritos, professores primários em serviço, alunos e professores das escolas de formação de professores primários (TTC – Teacher Training College), jovens fora da escola e outros membros da comunidade beneficiam do directa ou indirectamente do projecto/centro de aprendizagem. Os Centros de Aprendizagem – chamados ‘oneclass’ – são uma sala de aula renovada ou uma nova sala de aula construída de forma sustentável e design ambientalmente sensível, de apoio á uma aprendizagem personalizada para cada criança, ou seja, as crianças trabalham sozinhas e em seu próprio ritmo, com mínima supervisão do professor/adulto e no seu próprio idioma, através do uso de iPads/tablets numa escola primária. Os iPads/tablets são alimentados por painéis

solares e são restritos a aplicativos educacionais desenvolvidos pela organização Onebillion seguindo o currículo nacional. Pretende-se, com esta participação no seminário “Pensar África”, dar a conhecer o projecto “Unlocking Talent” e os seus centros de aprendizagem no Malawi.

 

Moderação

Antónia Barreto

Instituto Politécnico de Leiria – IPL;
Centro de Estudos Internacionais, ISCTE-IUL

 

Photo by dlang8| CC0