APRESENTAÇÃO
Ana Paula Tavares

Sobre a obra
O combate clandestino tem sido uma forma de resistência humana desde tempos muito recuados e desempenha um papel central na História inacabada da luta contra as opressões. A Ilha de Martim Vaz retrata-o através de quatro ou cinco grandes paixões amorosas em três séculos distintos: XV, XVIII e XXI, sempre em cima de mudanças sociais decisivas e sob perigos e ameaças constantes. Às diferenças de época o roteiro deste livro acrescenta locais distantes entre si mas próximos nos encontros e confrontos: de Ceuta a Tombuctu, do Rio a Benguela, de Luanda a Caiena, passando por Cartago, Lagos, São Jorge da Mina, Lisboa e Bordeaux, concluindo no Sahel de hoje.

Sobre o autor
Jonuel Gonçalves (José Manuel Gonçalves)
Membro da Associação Tchiweka de Documentação (ATD), professor na Universidade Federal Fluminense (Brasil), analista na Luanda Antena Comercial e na RDP África. Participou nas lutas pela independência e democratização de Angola e depois disso passou a nomadizar entre duas margens do Atlântico Sul, em trabalhos de pesquisa e docência, cujos efeitos fazem-se sentir nos textos escritos. Além dos livros referidos nas páginas iniciais deste, está presente no volume 1961 – Memória de um ano decisivo e prepara mais dois livros: um sobre Economia e outro de ficção.

Screen Shot 2015-09-15 at 12.35.49