Um dia passado na Luanda pós guerra, viajando de Kandongueiro e sintonizados numa rádio “Feita por gente, com gente e para toda a gente.” Com participações dos Ngonguenha, Mck, Shunnoz, Sbem, Fridolim, Turbantu, Afro e Laranja, entre muitos.

“Tudo começou com o disco “Ngonguenhação” do Conjunto Ngonguenha. Chegou a Fazuma um cd vindo da Matarroa. Escutámos ele e começámos a ver Luanda, a abanar as ancas com os bitis, a mandar gargalhada com as historinhas e, de vez em quando, levando aquele murro no estômago. Logo no momento sentimos que era dos melhores discos que já tínhamos ouvido e que, mais do que boa música, era um documento que retratava Angola. E Angola precisa de ser retratada e mostrada ao mundo. (…)”

O mambo tipo documentário foi seleccionado para o Indie Lisboa, Museu de Serralves, Casa da Música, ganhou o prémio VIMUS de melhor vídeodocumentário nacional e também o prémio jovem Mostralíngua 2008. Já em 2009 passou na edição do Mostralíngua em Moçambique e no Cineport no Brasil, onde foi aplaudido de pé, Cabo Verde e Angola, neste caso sem autorização. Passou ainda no Sfinks World Festival, na Bélgica no FMM Sines e em vários festivais na Suiça, Holanda, Bélgica e Espanha. E através da Mtv Portugal, Rtp 2 e Rtp África chegou a milhões de pessoas.

A banda sonora esgotou e foi destacada e apontada pela imprensa de referência com um dos discos do ano. Teve airplay nas playlists da Antena 3, Rdp África, Oxigénio, Nova Era e em todas as rádios Universitárias em Portugal, onde se mostraram pela primeira vez e em horário diurno, quase todos os artistas nela compilados.

É Dreda Ser Angolano (mambo tipo documentário)
65m – Fazuma
m/6
»» o doc será exibido em português

»»»»» »»»»»»»»» »»»»» »»»»»»»»» »»»»»»»»» »»»»»»»

A seguir ao documentário haverá conversa com Manuel L. D. Santos sobre activismos em Angola e sobre outros assuntos que possam surgir após a visualização do doc.

»»»» »»»»»» »»»»»» »»»»»»» »»»»»»»» »»»»»»»»» »»»»»»

Para iniciar o debate sobre a temática a ser desenvolvida durante a Conferência Internacional Ativismos em África, preparamos um festival de cinema documental que decorrerá no LARGO Café Estúdio nos dias 15 set, 20 out, 17 nov e 15 dez. As quatro sessões serão seguidas por uma boa dose de conversa com pessoas convidadas – realizadores, ativistas e investigadores.