Qualificações Académicas

Doutoramento em Linguística Africana – Universidade de São Paulo, Brasil

Mestre em Linguística – Universidade de São Paulo, Brasil

Resumo Biográfico

Pós Doutoranda em Antropologia pelo CRIA/FCT (Universidade Nova de Lisboa), desenvolvendo o projeto “Cruzando as fronteiras: africanidade e identidade em religiões de matriz banto no Brasil, Cuba e no Congo (RDC)”. Foi pesquisadora convidada do Musée Royal de l´Afrique Centrale (Bruxelas) no ano de 2010. Pós Doutorada em Antropologia Social pelo ICS (Universidade de Lisboa, Portugal),
com o projeto “Quando Ndoki foi flechado: feitiçaria e cura no Palo Monte (Cuba) e Pajé de Negros (Maranhão, Brasil). Fez seu Mestrado e Doutorado em Semiótica e Linguística Geral, Linguística Africana (USP, Brasil). Foi Leitora (Capes, MRE) na Universidade de Havana entre os anos de 2006 e 2008, quando também realizou boa parte de sua pesquisa de campo, trabalhando com uma religião de matriz banto, o Palo Monte. Desde 1996 trabalha com os quilombos do Maranhão, elaborando, em 2005 o Projeto Educacional “Falando em Quilombo” (Petrobras Cultural, 2005), sendo posteriormente a coordenadora do projeto “O Boi Contou” que tem como objetivo a produção de material didático adequado à realidade quilombola, financiado também pelo Programa Petrobras Cultural (2007). Atualmente é coordenadora do projeto CABOCLOS NKISIS, na área da Antropologia Visual, trabalhando com Novas Tecnologias e tradição oral no Brasil e em Cuba, financiadas pelo Programa OI FUTURO. Realizou o video documentário João da Mata falado, com o patrocínio do Museu Edison Carneiro (Rio de Janeiro), IPHAN e Ministério da Cultura, sob edital do ETNODOC (1º lugar Prêmio CRESPIAL UNESCO património imaterial), ganhou o Prêmio IBRAM Pontos de Memória 2012 (Mandou me chamar, eu vim! Musicalidade e performance na religiosidade de matriz negro-africana em Portugal). É a coordenadora da área de Antropologia do projeto “Libolo” (Kwanza Sul, Angola) sob coordenação do prof. dr. Carlos Figueiredo (UMacau) Faz investigações de terreno no Congo, Angola, Cuba e Brasil.

Publicações Salientes

Cunha, Ana Stela (2013), “Language, creativity and identity in conversation with the dead”. In Diana Espírito Santo & Anastasios Panagiotopoulos (eds), Beyound tradition, beyound invention: cosmic technologies and creativity in afro cuban religions. London: Sean Kingston Publishing.

Cunha, Ana Stela (2013), “João da Mata family: a Pajé materiality”. In. Diana Espírito Santo & Ruy Blanes (orgs), The social life of the spirits. Ed. Chicago University Press. (ISBN: 978-0-226-08180-9)

Cunha, Ana Stela & Estrela Rosenverck (2013), “Hip Hop Moviments and Rural Diaspora in Maranhão, Brazil”. In Rosana Martins & Massimo Canevacci (ed.). “Who we are – Where we are”: identities, urban culture and languages of belongings in the lusophone hip-hop. Oxford: Sean Kingston.

Cunha, Ana Stela (org.) (2011), Construindo quilombos, desconstruindo Mitos – A educação formal e a realidade quilombola no Brasil. Editora Setagraf, Maranhão. (ISBN: 978-85-64758-00-1)

Cunha, Ana Stela (2012), “Muerte, muertos y “llanto”: los funerales paleros como reveladores de la diversidad cubana“. Ateliers d’Anthropologie, Dossier “Ethnographies religieuses (afro)-cubaines”, 38.