O segundo Congresso Internacional de Cooperação e Educação  – II COOPEDU, organizado pelo Centro de Estudos Africanos (CEA -IUL ) do Instituto Universitário de Lisboa e pela Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria decorreu nos dias 28 e 29 de junho de 2012 no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE -IUL ) subordinado à temática Cooperação e Educação: África e o Mundo. Este II COOPEDU  pretendeu continuar, alargar e aprofundar as questões abordadas no I COOPEDU  (4 e 5 de fevereiro de 2010, ISCTE -IUL , Lisboa), dando continuidade às reflexões sobre as problemáticas da cooperação ao nível da educação entre os países africanos e outros países, regiões e continentes do mundo. O Congresso foi alicerçado em dois projetos de investigação interdisciplinares, desenvolvidos pelas instituições preponentes e centrados em questões relacionadas com a educação nos países africanos, intitulados: “Papel das organizações da sociedade civil na educação e formação: O caso de Angola, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe” e “Formação superior e desenvolvimento: Cooperação portuguesa com os PALOP ”.

Table of Contents

Introdução
Maria Antónia Barreto e Ana Bénard da Costa

I Parte – Parcerias e Paradigmas de Cooperação em Educação
1º Capítulo: Reflexões sobre Projetos de Cooperação em Educação

Olhares Cruzados: Percursos de um modelo de apoio a projetos de cooperação
Rosa Silva, Sara Poças, Júlio Gonçalves dos Santos, Rui da Silva e Carolina Mendes

Apresentação do projeto “O papel das organizações da sociedade civil na educação e na formação: O caso de Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique”
Maria Antónia Barreto

As comunidades locais no apoio socioeducativo das crianças
Maria João Cardona

Cooperação, estado e sociedade civil na educação/formação em São Tomé e Príncipe
António José Oliveira Martelo

The role of Non-Governmental Organisations in basic education in the Far North Region of Cameroon (1990-2012)
Jean Gormo

2º Capítulo: Experiências de Cooperação: Formação de Professores e Organização Curricular

 

Culturas de apoio a Professores em contexto de fragilidade educativa: Algumas reflexões e lições da Guiné-Bissau
Júlio Gonçalves dos Santos, Rui da Silva e Carolina Mendes

Globalização e currículo: atores e processos. um estudo exploratório na Guiné-Bissau
Rui da Silva

Kit “Energia, Ambiente e Sustentabilidade”, uma proposta para a promoção da educação científica na Guiné-Bissau
Joana Oliveira, Senentxu Lanceros-Méndez, Luísa Neves e Júlio Gonçalves dos Santos

Parceria entre a FASPEBI e o Ministério de Educação, Cultura, Ciência, Juventude e Desportos da Guiné-Bissau: Complemento através do regime de autogestão
Luigi Scantamburlo

A Mesquita Central Nacional e o Complexo Escolar “Attadamun”: a integração do ensino de árabe e a cultura islâmica na Guiné-Bissau
Saico Djibril Baldé

Desenvolvendo orientações curriculares para a educação de infância em São Tomé e Príncipe – Os desafios de um trabalho colaborativo
Gabriela Portugal

A escola técnica e a dinamização do meio
Ana Paula dos Santos Pinto

O papel do ensino da geografia no exercício da cidadania e na resolução dos problemas ambientais e urbanos da cidade de Nampula
Carlos Manuel Vicente Martins

II Parte – Ensino Superior
1º Capítulo: Políticas, Experiências de Cooperação, Interculturalidade e Educação Científica

 

Cooperação, Ensino Superior e Desenvolvimento: Portugal e os PALOP
Ana Bénard da Costa

As boas práticas na cooperação para o desenvolvimento na educação, o caso da Universidade de Aveiro
Carlos Sangreman

Sistema de Informação do Processo Penal (SIPP)
Rita Morais, Joaquim Sousa Pinto e Cláudio Teixeira

Sustentabilidade em projetos de I&D
Cláudio Teixeira, Joaquim Sousa Pinto e Rita Morais

Direito e legislação no mosaico intercultural entre professores indígenas no Brasil
Sandra Maria Silva de Lima

Percepções de professores indígenas em formação sobre violência doméstica em Mato Grosso, Brasil
Sandra Maria Silva de Lima e Alessandra Lima Deluque

A importância do legado histórico-científico da época colonial na formação de quadros dos países de língua oficial portuguesa (PALOP) em Ciências Naturais
Betina da Silva Lopes, Pedro M. Callapez e Celeste Gomes

2º Capítulo: Ensino Superior nos PALOP e Mobilidade Internacional de Estudantes

 

Evolução e crescimento do ensino superior em Angola
Paulo de Carvalho

A importância da cooperação portuguesa e brasileira na formação superior de angolanos
Ermelinda Liberato

Investimento em capital escolar e processos históricos de mudança social: Três gerações de estudantes angolanos em Portugal
Margarida Lima de Faria

Cabo Verde e São Tomé e Príncipe: Ensino superior e trajetórias em Portugal
Gerhard Seibert

O sentido psicológico de comunidade em estudantes de países PALOP e CPLP a frequentar a Universidade da Beira Interior
Eliane Morais Martins e Graça Esgalhado