As abordagens das sociedades africanas e das transformações sociais que nelas ocorrem têm sido perturbadas pela alienação a um tipo de análise que, em vez de privilegiar a compreensão do que realmente acontece, tem-se esforçado em vincular estas mesmas abordagens a teorias e conceptualizações formalmente reconhecidas, numa teimosa tentativa de legitimação do que sobre elas teriam escrito as ciências sociais ocidentais ou outras análises estabelecidas. Neste esforço, são-nos impostas citações fabricadas em função daquilo que, próximo do objecto de análise, teriam dito os clássicos ou os “mais autorizados”, sobrecarregando os textos e tornando-os menos inteligíveis aos não especialistas, criando constrangimentos à própria análise que, em última instância, assumem a forma de uma camisa-de-forças a um real desenvolvimento do métier de investigador.

Table of Contents

INTRODUÇÃO
A. À PROCURA DE UM QUADRO DE ANÁLISE
1. As abordagens teóricas
2. As elites nos Estudos Africanos
3. Da importância do estudo das elites na Guiné-Bissau
B. A FORMAÇÃO DA ELITE POLÍTICA NA GUINÉ-BISSAU
1. Revisitando a história da elite política guineeense
2. A luta pela independência e a formação e reconstituição da elite política
3. A formação da elite política na fase pós-colonial
4. Transição liberal e renovação da elite política
5. Renovação da elite política
BIBLIOGRAFIA

Edicao Digital