A COOPERAÇÃO PARA A SEGURANÇA NO CONTEXTO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO REALISMO AO CONSTRUTIVISMO

Resumo
A segurança constituiu em permanência e desde sempre uma preocupação do homem na vivência em sociedade. Na procura deste desiderato, o homem estabeleceu alianças, acordos, parcerias e múltiplas formas de cooperação para resolver os seus problemas de segurança, que em determinados contextos históricos foram determinantes para o curso da própria Historia e para a sobrevivência das sociedades. Esta cooperação deu-se sob inúmeros propósitos e quase sempre em prol de interesses conjunturais que, em sociedade, se tornavam elementos fundamentais da ação governativa e que se tornavam estratégicos na condução política do Império, Reino, Estados ou Nações. Perspectiva politica que se fundavam em ideologias e formas académicas de estudar os fenómenos da guerra e que orientavam as análises político-estratégicas, servindo de esteiro aos argumentos das lideranças. A segurança tornou-se assim prevalente nas sociedades e condicionou a ação militar que passou a ser instrumento de poder e sistema de apoio ao desenvolvimento das sociedades mais modernas.

[+info]

 

Temas: