Lisboa, 21 fev (Lusa) — A investigadora portuguesa Ana Lúcia Sá disse hoje que não sabe se a pena de morte será algum dia abolida na Guiné Equatorial uma vez que, há apenas duas semanas, nove pessoas foram “executadas sumariamente” no país.

“Sabemos que a pena de morte não foi abolida ainda na Guiné Equatorial e não sabemos se será abolida. Sabemos que, há duas semanas, foram executadas nove pessoas na Guiné Equatorial”, disse à agência Lusa a investigadora do Centro de Estudos Africanos do ISCTE, que já realizou um estudo sobre o ciberativismo na Guiné Equatorial, publicado em 2011.

De acordo com a especialista, estas pessoas foram “sumariamente executadas sem direito a uma apelação”.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/guine-equatorial-nove-pessoas-foram-executadas-no-pais-ha-duas-semanas-investigadora=f857324#ixzz2tynIKky8

 

Temas: